sábado, 14 de maio de 2011

Pe. CAUBY: O "SOLDADO" DE CRISTO


Fotografia do acervo de Francisco Mello (Prof. Mello)

(Resumo de um dos trabalhos de pesquisa de minha autoria sobre o circulismo católico.)

Pe.Cauby Jardim Pontes,coadjutor nos anos de 1940 do Monsenhor Gonçalo de Oliveira Lima. Natural da cidade de São Benedito, Pe Cauby era um sacerdote de punho firme e enérgico, conhecido por sua postura conservadora no combate ao comunismo ateu. Restaurador do Círculo Operário Católico de Ipu e um ativo incentivador da Cruzada Eucarística. Em um de meus registros de pesquisa do livro de tombo da Igreja de Ipu Monsenhor Gonçalo de Oliveira Lima nos diz:

"Pe. Cauby Pontes, que trabalhou comigo de 1942 a 1947, o qual, além de muitos outros benefícios, restaurou o Círculo de Operários, incentivou o catecismo e (ilegível) a cidade de uma amplificadora que, adquerido por subscrição popular,é propriedade parochial."(1)

Como bem afirma nos escritos deixados por Monsenhor Gonçalo Lima no livro de Tombo da Igreja, Padre Cauby surge com a missão de “restaurar o Círculo Operário Católico”, vinculado ao corporativismo fascista e integralista do operariado cristão, além de contar com as diversas associações pias como a Congregação dos Moços Marianos e a Liga Feminina da Ação Católica.Entidades representativas e vigilantes no meio católico cearense.

Em entrevista realizada com a senhora Maria da Conceição Viana encontramos algo referente a memória de Padre Cauby. Em suas palavras é possível perceber algumas características relacionada a um homem de educação rígida e militar, praticante de educação física e que gostava de “raspar o rabo do seu cavalo” para sair desfilando pelas ruas da cidade.

...Ele era um rapaz muito alto, muito forte, musculoso, sabe?.. bonito, novo, sabe...Ele chegou aqui no Ipu para ajudar o Monsenhor Gonçalo Lima que estava velhinho, cansado...Ele tinha um cavalão alto, bonito e ele raspava (risos) o rabo do cavalo e deixava uma vassourinha na ponta [...] Ele fazia missa cinco horas da manhã e a Igreja ficava completamente cheia de gente e cantava todas as músicas. Tinha uma voz linda, forte sabe? Ele era um espírito avançado. Era, era (pausa) como se diz, tinha liderança....(2)


A figura do Assistente Eclesiástico constituía um dos importantes fatores de mobilização e propaganda ideológica do circulismo. De fato , agia como um dos mecanismos de controle social da Igreja, tendo um papel decisivo e doutrinário na vida cotidiana do “operariado” cristão. É o que diz Damião Duque de Farias em seu trabalho, “Em defesa da ordem” ao destacar o papel do Assistente Eclesiástico como figura de ação ofensiva no meio católico circulista.

[...] Na verdade, o Assistente Eclesiástico é o primeiro dirigente de qualquer das esferas do movimento circulista. Em última instância era ele quem definia a ação católica entre o operariado, o Estado e o patronato. Por isso mesmo era que seus nomes se sobressaíam entre os demais em todos os documentos e articulações realizadas...(3)

(1) Livro de Tombo da Igreja de Ipu. Ano de 1947.
(2)Entrevista concedida pela senhora Maria da Conceição Viana em 09/12/07. Ipu-Ce.
(3)Sobre a presença do Assistente Eclesiástico no circulismo ver FARIAS, Damião Duque de. Em defesa da Ordem. Aspecto da Práxis Conservadora católica no meio Operário em São Paulo (1930-1945)p.193

Um comentário:

  1. Ele é meu avô materno, faria 100 anos de idade este ano. Gostaria de mais informações a respeito da família visto que ele veio para Maceió e perdemos o contato com os parentes que permaneceram no Ceará. Aline Pontes

    ResponderExcluir